Para fazer a diferença: Worldline e Consulado da Mulher abrem espaço para empreendedorismo feminino

Empresa apoia ações do Instituto Consulado da Mulher, projeto social da Consul, com espaço dedicado aos negócios liderados pelo público feminino em seu novo escritório na Vila Olímpia (SP)

Nunca se viu tantas mulheres empreendendo o próprio negócio como hoje em dia. Motivos, claro, não faltam: seja por vontade ou necessidade, a verdade é que elas estão à frente de quase metade dos lares brasileiros e, agora, precisam lidar diretamente com o impacto social trazido e deixado pela pandemia.

Empreender, porém, quase sempre não é uma tarefa fácil. Sobretudo quando é preciso tirar tudo da cabeça, sem sequer ter tempo para colocar os planos no papel. É pensando nisso que, agora, a Worldline anuncia sua parceria com o Instituto Consulado da Mulher, ação social mantida desde 2002 pela marca Consul.

Portas abertas para o empreendedorismo

Como primeiro passo dessa união, a Worldline está abrindo um espaço especial para a venda de lanches e doces caseiros em seu novo escritório, localizado na Vila Olímpia, em São Paulo. O grande diferencial dessa estrutura é que todos os produtos são preparados por mulheres que foram orientadas pelo Consulado da Mulher.

Com estrutura completa de um café, a área está disponível para colaboradores e visitantes da Worldline. “Nosso grande foco é a capacitação e geração de negócios para que mais mulheres possam ter sucesso em suas jornadas. A parceria com a Worldline é uma importante notícia para espalharmos e ampliarmos as oportunidades para essas empreendedoras, muitas vezes chefes de família”, destaca Érica Sacchi Zanotti, Gerente de Programas Sociais do Consulado da Mulher.

De acordo com Érica, a iniciativa não visa fornecer conhecimento técnico sobre as áreas de atuação dessas mulheres, mas sim orientá-las e prepará-las para o gerenciamento dos negócios. “A grande maioria das mulheres que atendemos começa fazendo doces ou salgados em suas comunidades e para conhecidos, sem se julgarem como donas de um negócio. O propósito de nosso programa é mostrar como elas podem fazer vender seus produtos e aproveitar para gerar mais retorno e lucro para suas famílias, explica.

Treinamento e oportunidade prática

Para apoiar as empreendedoras, o Consulado da Mulher oferece treinamentos para cerca de 900 mulheres todos os anos. A duração do programa é de um ano, com aulas e atividades para o acompanhamento das participantes. “Temos unidades fixas em São Paulo, Rio Claro, Manaus e Joinville”, diz Érica, complementando que, hoje, a ação tem se concentrado em buscar soluções para apoiar o público feminino a reinventar suas oportunidades diante da crise.

“Estamos muito felizes em reforçar o compromisso social da Worldline e destacar esta parceria com o Consulado da Mulher. Sabemos que é um momento desafiador para todos e queremos ajudar. Estamos começando com esse espaço em nosso novo escritório, em São Paulo, mas a ideia de ajudar seguirá orientando nossa relação”, afirma Betina Taubas, Gerente-Executiva de RH da Worldline para a América Latina.

Betina destaca que o propósito de compartilhar ensinamentos e oportunidades está no centro da iniciativa. “Desde o momento que comunicamos essa novidade, temos recebido uma série de contatos de pessoas interessadas em ajudar. Isso fica claro, por exemplo, no trabalho que estamos fazendo para cocriar uma nova solução de pagamento e gerenciamento do espaço de nosso café, diz.

O Hackathon para o futuro

A proposta do novo espaço no escritório da Vila Olímpia é ser um café inovador, em que o cliente pode escolher, retirar e pagar suas compras de forma totalmente autônoma. Para tornar isso possível, a Worldline realizará um Hackathon interno, com grupos multidisciplinares que trabalharão em conjunto para a construção de uma solução de pagamento e de gestão de ponto de vendas exclusiva.

 A ideia é permitir que as empreendedoras possam ter apenas o trabalho de repor as mercadorias, sem a necessidade de estar presente em 100% do tempo. Assim, além de reduzir a quantidade de contato físico (especialmente em tempos de pandemia), a novidade também poderá ser replicada para outros escritórios que precisem desse tipo de suporte.

“Nós sabemos que precisamos tornar o negócio dessas mulheres realmente mais rentável e prático. Queremos usar nossa experiência para ajudar nessa jornada”, reflete Betina, ressaltando que a meta é levar esse conceito também para outros espaços da organização na América Latina.

Ao todo, mais de 35 mil mulheres já foram atendidas durante os quase 20 anos de atuação do Consulado da Mulher. Somente em 2020, foram 456 empreendimentos impactados pelo Instituto, que movimentaram, somados, cerca de R$ 6,5 milhões por todo o País.

Para saber mais sobre essa grande iniciativa, entre em contato conosco.

Sobre o autor

Érica Sacchi Zanotti atua como gerente de programas no Instituto Consulado da Mulher,  desenvolvendo metodologias para trabalhar o espírito empreendedor e a gestão de empresas com mulheres em situações mais vulneráveis. Em suas experiências anteriores trabalhou em projetos sociais da Votorantim Metais no Centro Oeste brasileiro e na ONU em Nova York, além de atuar com vendas em empresas multinacionais.Fez parte do comitê de gênero na Whirlpool e do grupo de políticas públicas do Movimento Mulheres do Brasil. É formada em Relações Internacionais com mestrado em Desenvolvimento Sócio Econômico pela Universidade de Barcelona. Se realiza também cantando samba, praticando e ensinando yoga, lendo e viajando.

Fernanda Pinchetti 

Tem sido Head de RH há 9 anos com responsabilidade pelo Brasil, America Latina e agora Americas em diferentes empresas como AkzoNobel, Whirlpool e Worldline.

Nestes anos a sua liderança se deu em momentos de grandes mudanças e transformação das empresas onde ela estava. Transformação tem sido o que a move.

Trabalha em RH há mais de 20 anos e teve passagens por áreas especialistas como Gestão de Talentos, Aprendizado e Desenvolvimento, Gestão de Mudanças e Remuneração e Benefícios.

Viveu 10 anos nos Estados Unidos, onde adquiru bachalerado em Gestão de Recursos Humanos e atuou como presidente do chapter da SHRM em sua universidade. Fernanda continuo adorando o que eu faço.

Betina Taubas

Betina TAUBAS, faz parte da equipe de HR de Ingenico WorldLine há 10 anos. Atualmente se desempenha como HR Manager para a Business Unit TSS para a region LAR. No passado e dentro do Grupo Ingenico já atuou com o cargo de HR para Ingenico Epayments.

Sobre a Worldline

A Worldline [Euronext: WLN] é líder europeia no setor de pagamentos e serviços transacionais sendo a 4ª colocada no ranking de maiores players em todo o mundo. Graças ao seu alcance global e seu compromisso com a inovação, a Worldline é a parceira de tecnologia preferida por comerciantes, bancos e adquirentes, bem como por operadores de transporte público, agências governamentais e diversos outros setores da indústria. Com mais de 20.000 funcionários em mais de 50 países, a Worldline oferece aos seus clientes soluções sustentáveis, confiáveis e seguras em toda o ecossistema do processo de pagamentos, promovendo crescimento de seus negócios onde quer que estejam. A Worldline atua nas áreas de Serviços Comerciais, Terminais, Soluções e Serviços, Serviços Financeiros, Serviços de Mobilidade e e-Transacionais, incluindo aquisições comerciais locais e internacionais, tanto em lojas quanto on-line, garantindo transações de pagamento altamente seguras, com amplo portfólio de terminais de pagamento, bem como e-ticketing e serviços digitais em ambiente industrial. Em 2020, a Worldline gerou uma receita de 4,8 bilhões de euros. Saiba mais em worldline.com